A Tarde

Treze pessoas foram presas na operação da Polícia Federal (PF) de combate à exploração de caça-níqueis denominada “Reset”, na manhã desta quarta-feira, 1º. Entre os detidos, estão os empresários Augusto César Requião, José Luís de Oliveira Simões, Leonardo Reis Almeida e Valdemir Acácio Ozorio, que são apontados como chefes no esquema de jogos de azar. Inicialmente, policiais federais divulgaram que o primeiro nome de Requião era Rubens, mas a informação foi corrigida posteriormente. Requião, Simões e Leonardo Almeida foram detidos em seus apartamentos em edifícios de luxo na Graça, Vitória e Alphaville I.

A polícia também prendeu Oliver Michel Fransceschi, em Fortaleza, no Ceará, onde mora, que é acusado de ser o responsável pela importação do material necessário para a fabricação de máquinas caça-níqueis. Para a operação, ele utilizava a empresa Sygnaron, que fica em São Caetano do Sul (SP), e é de propriedade de Wilbis Wilson Paulo.

Os demais presos não tiveram nomes divulgados. No total, são 14 mandados de prisão e 41 de busca e apreensão em Salvador, Itaparica, São Caetano do Sul, em São Paulo, e Fortaleza, no Ceará.

Os agentes também fazem buscas em depósitos de máquinas caça-níqueis e já apreenderam cerca de 400 monitores, além de placas-mãe na empresa 2M2B, na rua Djalma Dutra, região das Sete Portas. Os policiais também já fizeram buscas na O.M Recreativos, de propriedade de Augusto César Requião, um dos detidos.

A ação é um desdobramento da operação “Aposta”, realizada em 2007, onde foram cumpridos mandados de busca e apreensão contra o mesmo grupo. Após a investigação, os empresários reestruturaram suas empresas e voltaram a atuar com jogos de azar.