do A Tarde | Juscelino Souza

O aeroporto Pedro Otacílio Figueiredo, em Vitória da Conquista, permanece fechado para pousos e decolagens, nesta quinta-feira, 26, após o acidente envolvendo um avião da empresa Passaredo (prefixo PTB-2231) com capacidade para 50 pessoas na tarde de quarta-feira, 25. Técnicos da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) realizam trabalhos de recuperação no local e a previsão é de que o aeroporto seja reaberto na manhã desta sexta-feira, 27.

Durante a manhã desta quinta-feira, 26, os profissionais percorreram a pista, avaliando a estrutura do jato e peças que se soltaram durante a manobra. Algumas partes estavam na cabeceira, reforçando a informação de que houve um choque num muro de contenção, próximo a Lagoa das Bateais, área de lazer administrada pela prefeitura que fica entre o bairro Bateais e a entrada da pista do aeroporto.

De acordo com José Antônio Santos, 77 anos, morador do local, foi possível ouvir o barulho provocado pelo acidente a cerca de 50 metros da cabeceira da pista. “Foi um estrondo forte, como se fosse uma bomba bem grande explodindo”, afirmou.

O sítio aeroportuário recebe quatro voos diários de São Paulo, Belo Horizonte e Salvador. As decolagens acontecem em igual número, para os mesmos destinos, atendendo a cerca de 230 pessoas por dia.

Segundo comunicado das operadoras de viagens, os passageiros com viagem marcada com destino a Conquista, podem desembarcar em Salvador e chegar até o município em ônibus fretados pelas empresas aéreas. Quem preferir, ainda segundo as empresas, pode remarcar o bilhete ou solicitar reembolso.

Acidente - O avião, que partiu de Guarulhos (SP) às 13h com 27 pessoas a bordo com destino a Conquista, saiu da pista e parou numa área de matagal, com uma das turbinas em chamas, às 14h40 de quarta-feira, 25. Dois passageiros sofreram luxações, foram examinados e liberados no mesmo dia.

O motivo do acidente teria sido o trem de pouso da aeronave, que apresentou falha mecânica durante a abertura, fazendo com que o comandante executasse um pouso forçado na cabeceira da pista.

Em nota divulgada após o ocorrido, a empresa Passaredo Linhas Aéreas, dona da aeronave ERJ 145, da Embraer (prefixo PTB-2231), afirmou que o avião estava com três tripulantes e 24 passageiros e que, em relação ao fato, “investiga as causas da ocorrência constatada durante o pouso”.